A Descida Pelo Telhado do Paralítico de Cafarnaum

“E deixando Nazaré, Jesus foi habitar em Cafarnaum, cidade marítima, nos confins de Zebulon e Naftali, para que se cumprisse a profecia de Isaías”. Cafarnaum localizava-se na costa ocidental do mar da Galileia, na fronteira entre duas tribos antigas: Zebulon e Naftali. Uma profecia de Isaías dizia que a chegada de Jesus no local iria trazer libertação dos inimigos.

Isaías 9:1,2 “Mas para a terra que estava aflita não continuará a obscuridade. Deus, nos primeiros tempos, tornou desprezível a terra de Zebulon e a terra de Naftali; mas nos últimos dias, tornará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, a Galileia dos gentios. O povo que andava em trevas viu uma grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz”. Assim, em Cafarnaum Jesus opera muitos milagres, dentre os quais destacarei a cura de um paralitico descrita nos Evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas.

“A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.” Marcos 2:11-12

Aconteceu na casa de Simão Pedro. Jesus estava reunido ali com os fariseus quando as pessoas ficaram sabendo e se aproximaram para ouvi-Lo. Era tanta gente que a porta principal da casa ficou lotada, interditada, ninguém podia mais entrar ou sair, a não ser quando a reunião terminasse. E eis que quatro homens apressados e decididos a falar com Jesus surgem entre a multidão, carregavam uma maca e nela estava deitado um paralitico, impossibilitado de movimentar pernas, braços e de voz prejudicada. Seus amigos eram as “mãos, pés e voz” do homem escravizado pela doença. Eles queriam falar com Jesus, precisavam falar com Ele. Só que, apesar da urgência e do estado, ninguém deu passagem. Todos e cada um, estavam ocupados demais com seus próprios problemas e a solução deles, o paralitico, era apenas mais um que buscava desesperadamente a cura.

Nem todos têm sensibilidade para perceber as necessidades do outro e encará-las com a mesma dor de quem a vive e ainda que o problema seja visível, poucos se dispõem a ajudar. No caso do paralitico de Cafarnaum, entre 100, 200, mais ou menos, quatro amigos foram sensíveis e determinados na busca pela felicidade do semelhante. De forma admirável, eles empreenderam tempo e esforço em busca de algo que parecia difícil de se realizar, e quem sabe, por esse motivo, as pessoas não tenham aberto o caminho, dado passagem para a maca e o doente. Para eles, aquele era um caso perdido. Mas, no coração dos amigos do paralitico, a fé já havia brotado, criado raízes, e agora, eles estavam ali, em busca do fruto da fé. Tinham certeza que estavam na hora e no lugar certo e nada poderia lhes impedir de ver o milagre.

Fico imaginando esses homens, enquanto carregavam a maca, conversando entre eles sobre o que Jesus já havia feito nas redondezas: ressuscitado mortos, curado leprosos, expulsado demônios. Apressados, cambaleando a maca de um lado para outro, mas tão designados que despertaram admiração no Filho de Deus: “Vendo a fé deles, Jesus disse ao paralitico: Filho, os teus pecados te são perdoados” Marcos 2:4. A maneira como chegam até Jesus, é no mínimo extraordinária! Já que ninguém lhes dá passagem, eles sobem até o telhado da casa, abrem um buraco no teto e descem o amigo paralitico até o centro da sala, onde Jesus estava. Quanta fé! As casas da antiga palestina, tinham abertura no telhado, pois, era comum espalhar trigo ou outros cereais na eira para que o vento carregasse a palha, limpando o grão (Rute 3). Também era costume manter uma escada fixa ou móvel ao lado da casa para possibilitar a subida ao telhado. Os amigos do paralitico de Cafarnaum certamente usaram a escada, e não deve ter sido nada fácil chegar ao cume da casa carregando a maca sob olhares curiosos, incrédulos e as dificuldades próprias da missão.

Essa é uma grande lição para todos nós. A fé exige ação. Os homens buscaram o milagre, foram ao encontro de Jesus e por mais que houvessem obstáculos, eles não desistiram. Não sentiram vergonha ou desanimo. Não esmoreceram diante da passividade das pessoas. Eles não buscavam aprovação dos homens, não estavam interessados sobre o que iam falar deles, mas buscaram Jesus.  Os fariseus estavam sentados dentro do recinto e quando viram o homem descer pelo telhado e Jesus o perdoar dos pecados, não deram glória, nem se compadeceram, mas ficaram furiosos e julgaram ser Jesus um enganador arrogante se fazendo passar por Messias: “Por que fala desse modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados senão um que é Deus?” Marcos 2:7. Os fariseus estavam entre os mais importantes religiosos de Israel e não tinham discernimento espiritual, porque eram orgulhosos, cheios de si mesmos. Mas os humildes homens que carregavam a maca, eram simples moradores de Cafarnaum. Pequenos diante dos homens, mas grandes diante de Deus. Não tiveram receio de se humilharem por uma boa causa, de amor ao próximo.

E de repente, o desprezível cortejo da maca que até pouco tempo implorava por entrar na casa pela porta, sem ser ouvido, recebe a atenção do Mestre da vida e se torna o centro da atenção de todos. O paralitico de Cafarnaum, estava doente por causa do pecado e foi primeiramente perdoado, em seguida curado da paralisia. Foi quando desceu pelo telhado, como um grão de trigo caindo em terra, morrendo para o mundo e escolhendo viver para Deus que recebeu libertação. E como profetizou Isaías: o homem que estava assentado sobre as trevas, viu uma grande Luz, chamada Jesus! Nem toda enfermidade é ocasionada pelo pecado, mas a desse homem era e deve ter ocorrido de maneira progressiva, privando-lhe de felicidade. O paralitico de Cafarnaum era prisioneiro duas vezes: do pecado e da doença. Não bastaria devolver-lhe a saúde física se sua condição espiritual era a causa de todos os seus males. E aqui cabe a nós compreendermos que Jesus veio para libertar o homem por inteiro (Isaías 54). Em que outro lugar o paralitico Galileu encontraria tamanho favor? Em que outro lugar nós encontraríamos tamanho favor? Somente em Jesus.

É louvável a fé desses homens que carregaram o amigo sob a maca. Eles demonstram a importância da intercessão. O comportamento do doente também contribuiu para a realização do milagre: apesar de seu estado critico, era um homem que exercia certa influência em seu meio social. Sua presença era querida. E como não devem ter saído daquele lugar felizes, saltitando, glorificando a Deus. Um testemunho que aproximou muitas outras vidas de Jesus. Aquele buraco no teto testemunha também a nosso favor. Se são muitos os obstáculos, por mais que digam que é impossível, improvável, se o Caminho é Jesus a Luz  haverá de raiar. Assim como raiou nos confins de Zebulon e Naftali.

Deus o abençoe.

Pr. Sérgio Pereira – Pastor Setorial do Setor 5 – Tapera em Florianópolis (SC). Bacharel em Teologia, Especializado em Teologia Prática, pregador, conferencista e escritor.

share

Comentários

  1. eu já ministrei essa palavra. mas essa daqui me envolveu muito. linda de mais.DEUS abençoe a sua vida.

  2. Lindo, fiquei emocionado ao ler esse texto! Irei usa-lo na ministração de hoje.
    Gloria a Deus por sua vida!

  3. em lagrimasss

  4. me deixou maravilhado essa explicação

  5. Kátia Del Rey : abril 20, 2019 at 2:26 pm

    Gratidão por essa explicação tão clara e autentica.

  6. Sinvaldo Felicio : março 16, 2019 at 5:39 pm

    Deus abençoe pela explicação muito clara e cheia de co tudo… e muito bom ler textos que seguem toda uma ordem de exposição Deus co Tomie usando o senhor Pastor se possível quero a tirar algumas dúvidas com senhor…sobre este homem se puder posso passar por e-mail ou zap ….

  7. Marco Antonio de souza : dezembro 8, 2018 at 4:44 pm

    A biblia e para todos mas o que tá dentro nao

  8. Reinaldo Ribeiro : setembro 22, 2018 at 10:18 am

    Oi pastor bom dia , muito linda essa mensagem , a fé nos leva a cura , esse paralítico estava acamado a muito tempo , como o Sr explicou , foi pelos pecados que cometeu , na bíblia não relata quais foram , lógico né! Agora eu te pergunto pastor ,esse homem foi o comandante do rei Herodes , que mandou matar todos os meninos de dois anos de idade afim de matar Jesus quando ele tinha essa idade ? Naquela noite foi algo terrível para todas as mães que tinham filhos dessa idade , o sofrimento e choro foi algo cruel , mas Deus tinha que cumprir seus planos !!!

  9. Eleandro Santos Pimenta : agosto 27, 2018 at 7:57 am

    Um texto lindo com certeza de grande valia aos nossos dias , um grande exemplo a ser seguido por nós outros , Jesus é pra todos mais a fé são pra poucos, nem tem usam de forma eficaz . Obrigado Pastor Servir por nos trazer ao nosso intendendo a alusão desse texto , fica aqui minhas considerações , grande exímio pregador do Senhor forte abraço . Aqui Pastor Eleandro de Indaiatuba SP

  10. VALDEIR CONSTANTINO : maio 22, 2018 at 4:43 am

    LINDA MENSAGEM DÊ REFLEXÃO QUÊ DEUS CONTINUE ABENÇOANDO O PASTOR SÉRGIO PEREIRA

  11. Essa passagem,e tremenda pois além,do grande milagre da cura física,Jesus se preocupou em perdoa seus pecados primeiro pois nós somos insensível aos problema do próximo essa passagem nos ensina viver oque Jesus nos ensina o amor,nem sempre terá 4 amigo pra te ajudar com seu milagre mais vamos crer no nosso Deus q nós prometeu está conosco até a consumação dos séculos glória a Deus fui abençoada com essa msg.

  12. Não aconteceu na casa de Simão e sim na casa do próprio Jesus, como está em Marcos 2

    • Eliane de Oliveira : novembro 2, 2017 at 1:03 pm

      Jesus não tinha casa, Ele fazia da de Pedro e de Lazaro como sua pq sempre que vinha de algum local, era em uma dessas casas que Ele se hospedava, Ele mesmo falava que não tinha nem onde por a cabeça. Mas na historia isso é apenas um detalhe, temos que nos atentar na essência da mensagem, no mais importante

      • Esse seu comentário é interessante pois ouvir um pregador dizer que essa casa era de Jesus. Que mesmo parando pouco pois andava por toda parte. Quando ele estava la as pessoas iam para lá. E verdade palavra do próprio Jesus diz;que ele não tinha onde repousar a cabeça.

      • Tiago dias franchlin : julho 29, 2018 at 6:41 pm

        Quando jesus se refere a não ter onde reclinar a cabeça, ele dizia que não tinha paradeiro fixo! O evangelista Mateus nos afirma que quando o Mestre soube da prisão de joao Batista, este foi residir_se em Cafarnaum para se cumprir uma profecia de isaias.

    • Esse seu comentário é interessante pois ouvir um pregador dizer que essa casa era de Jesus. Que mesmo parando pouco pois andava por toda parte. Quando ele estava la as pessoas iam para lá. E verdade palavra do próprio Jesus diz;que ele não tinha onde repousar a cabeça.

    • Michele santos : abril 6, 2018 at 1:32 pm

      Uma tradução melhor seria”ele estava á vontade”.
      Provavelmente era a casa de Pedro, onde Jesus estabeleceu recidencial temporária
      cf. MT4.13

  13. Amém P.Sérgio Forte esta Palavra Ministrei esta Palavra Ontem e foi Tremendo ,Glória a Deus pela sua vida.E Hoje querendo apre der mais,entrei no seu Blog.Muito Bom que Deus continue te usando e inspirando.

  14. Marco Antonio Fernandes : abril 10, 2015 at 7:35 pm

    AOS ESTUDANTES >>> Aqueles que estudam textos diversos nas escolas em todos os níveis, saibam que se a Bíblia fosse um romance ficcional, esse detalhe do telhado jamais seria criado, por que ele não tem sentido em si, do ponto de vista secular ele não tem motivação nem consequência, portanto, conclui-se que trata-se da mais pura narrativa de fato consumado !!! Aleluia !!!

  15. FRANCISCO DELGADO : abril 22, 2014 at 3:08 pm

    MUITO BOM ISSO A LUZ DISSIPA AS TREVAS;

  16. Muito bonito a mensagem. Já havia lido a mesma no blog TENDA DA ROCHA da irmã em Cristo Wilma Rejane, que o escreveu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *